Dieta do arroz integral -Dieta do arroz integral emagrece 17kg.

Emagrecimento Rápido

--------------------------

Dieta do arroz integral.

A dieta do arroz integral é um tratamento clássico que a medicina natural moderna absorveu da macrobiótica.

COMO FUNCIONA

A dieta deve ser realizada em um período de dez dias e, durante este tempo, o único alimento a ser ingerido é o arroz integral orgânico. Ao fazer este arroz não se deve acrescentar óleo, a água do cozimento deve ser muito pura e o sal a ser utilizado é sempre o sal marinho biológico. Nessa dieta são feitas apenas três refeições diárias, sendo o desjejum composto de um mingau feito com farinha de arroz integral tostado, água e sal. A mastigação deve ser prolongada para o arroz cozido e os líquidos devem ser evitados durante as refeições.

Os defensores desta dieta não aconselham que ela seja iniciada a partir de uma dieta comum, sendo interessante retirar do cardápio, gradativamente, alguns alimentos, de modo que consuma apenas frutas, verduras, legumes, túberculos e cereais integrais pelo menos uma semana antes de começar a dieta em questão. Da mesma forma acontece com o término: nos primeiros dias, manter sempre o arroz como prato principal, introduzindo outros cereais integrais e, nos dias seguintes, acrescentar legumes e verduras, para depois inserir os demais.

PONTOS POSITIVOS

As fibras contidas no arroz integral aumentam a saciedade e o trânsito intestinal e reduzem o colesterol e a glicemia;
Incentiva uma boa mastigação;
Por ser um alimento orgânico, é livre de agrotóxicos;
Desencoraja a ingestão de líquidos durante as refeições.

PONTOS NEGATIVOS
Refeições repetitivas tornam a dieta enjoativa;
Por ser um alimento orgânico, é muito caro;
Não contém nutrientes suficientes para um bom funcionamento do organismo;
Não estimula a prática de exercícios;
Não se preocupa com as preferências e aversões alimentares do índividuo;
Não há orientação sobre ingestão hídrica;
Não promove reeducação alimentar;
Prejudica a vida social do indivíduo;
A dieta não incentiva um fracionamento adequado das refeições

--------------------------

Perder a barriga com ajuda do arroz integral.

Perder a barriga com ajuda do arroz integral
Perder a barriga é apenas um dos benefícios da inclusão do arroz integral no cardápio diário

O que difere o arroz integral do branco é a casca que envolve o grão. Pode parecer bobagem, mas essa sutil diferença é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Essa casca carrega consigo uma série de benefícios, que vão desde o controle do diabetes até a redução da gordura abdominal, conclusão de um estudo realizado pela Universidade Tufs, do estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. Segundo especialistas, é importante comer quatro colheres de sopa bem cheias de arroz integral todo dia!

Só traz benefícios!

Comer arroz integral ajuda na dieta, previne doenças cardiovasculares e diabetes - e ainda melhora o humor!

Ajuda a secar a barriga
Sua casca é rica em fibras, e isso ajuda a diminuir a barriga. O processo é simples: como formam uma espécie de goma quando entram em contato com a água, as fibras tornam a digestão mais lenta, fazendo com que o açúcar proveniente dos alimentos seja assimilado aos poucos. Assim, é possível reduzir em até 10% a gordura visceral.

Tira a fome
Comer arroz integral ajuda a regular o intestino, aumenta a sensação de saciedade e, com isso, disfarça a fome!

Faz bem para o coração
Ingerir o alimento também diminui o risco de doença cardiovascular, explica José Renato das Neves, cardiologista do Hospital Samaritano de São Paulo.

Dá maior sensação de bem-estar e beleza
O arroz integral contém ainda metionina, um aminoácido precursor da serotonina, que proporciona bem-estar. É por isso que o alimento também age como um antidepressivo natural. E tem mais: ele ainda auxilia na redução do colesterol, evita queda de cabelo e hidrata pele e unhas.

------------------------

A DIETA DO ARROZ INTEGRAL.

A DIETA DO ARROZ INTEGRAL

Sou leitora assídua do Panelinha e gostaria de saber se a dieta do arroz integral funciona e é saudável. Já vi várias afirmações, incluindo médicas, dizendo que sim. Qual a opinião de vocês? Aproveito para dar parabéns pelo blog. Adoro! Sucesso,

Fernanda Araujo

Fernanda, obrigada pelo e-mail. Não sei se vou dar a resposta que você quer. Mas, antes, lembro que sou uma entusiasta do arroz integral. Já falei dos benefícios dele aqui neste post. Há anos recomendo o consumo de arroz integral. Ele é rico em fibras, que ajudam no funcionamento intestinal, vitaminas do complexo B, um antidepressivo natural, e orinazol, uma substância antioxidante, que combate o colesterol ruim, reduz o risco de doenças cardiovasculares e também os sintomas da menopausa. Nada mal para um alimento tão trivial!

O problema, Fernanda, é que não gosto de nenhum plano alimentar que seja denominado A DIETA DO... Aliás, não sou só eu. Certa vez, a editora de uma importante revista de dietas comentou comigo que, para ela, a parte mais difícil do trabalho era justamente que, na verdade, é muito raro de achar uma dieta realmente diferente. Só o que muda é o nome.

Na chamada dieta do arroz integral entram frutas, aveia, feijões, hortaliças e laticínios sem gordura. Ela chega até a incluir peixe, frango, ovos ou carne magra. O nome dá a entender que a pessoa fica 10 dias à base de arroz integral, mas ela apenas inclui o arroz integral numa alimentação já rica em outros alimentos benéficos.

Em outras palavras, trata-se de uma alimentação balanceada, batizada com um nome diferente para vender revista. Como você acompanha o site, sabe que não existem alimentos bons ou ruins na natureza. A gente aqui privilegia os alimentos de verdade. E daí você pode chamar de dieta do arroz, do relógio, das frutas, dos três pulinhos, tanto faz.

Para algumas pessoas, seguir uma dieta, seja ela qual for, funciona como um guia. Para mim, isso tem o efeito contrário: não gosto de ninguém me controlando ou dizendo o que eu vou comer naquela refeição. Aliás, saber que você pode, e deve, comer de tudo é libertador.

Você deve apenas se concentrar em escolher comida de verdade. Diet, light, sem gordura, sem carboidrato. Essas são denominações modernas e que NÃO SÃO sinônimos de alimentação saudável.

Então, respondendo a sua pergunta, até que a "dieta do arroz" não é tão ruim. Afinal, arroz é uma comida de verdade. Mas fica melhor ainda se você se sentir livre e autorizada a comer o que precisa e também o que tem vontade. E um nutricionista também pode ajudar você a fazer as escolhas saudáveis.

Como incluir mais arroz integral na sua alimentação é sempre uma boa ideia, confira aqui uma seleção de seis receitas com arroz integral aqui do Panelinha.

------------------------

Arroz.

Arroz

Então ela resolveu comer apenas arroz integral por uma semana. Tinha lido numa dessas revistas de dieta que só gordos compram que uma atriz qualquer da novela das seis era adepta do arroz integral. Não que ela fosse gorda. Ela era uma das poucas leitoras magras da revista, disso tinha certeza. O que chamou sua atenção foi que a atriz, cujo nome fugia à memória, dizia que o arroz fazia um processo de repurificação interior. Ela não entendeu exatamente o que seria repurificação interior quando leu a matéria. Ela já havia sido interiormente pura para ser repurificada? De qualquer forma, aquilo era exatamente o que ela estava precisando.

Podia parecer uma bobagem, mas o fato é que ela estava excitadíssima com as perspectivas daquela dieta. Na véspera, preparou um cardápio com todas as variações possíveis de feitura do arroz. Preocupou-se um pouco ao pensar se poderia ou não colocar temperos nos grãos. Resolveu assim: nos primeiros dias, comeria só arroz, pura e simplesmente. Se começasse a enjoar, trocaria alguma porcentagem de pureza por outra de caldo Knorr.

No supermercado, encheu todo um carrinho de arroz integral. Achou o aspecto horrível, aquelas cascas todas. Logo ela, que não comia nem casca de maçã. Vai ver era por isso que a vida dela estava daquele jeito. Passou anos adorando o que fazia, fazendo esforço para decorar o nome de cada aluno. Corrigia provas tentando extrair o máximo do mínimo que os meninos escreviam. E agora estava daquele jeito, invalidando completamente uma questão que não trouxesse Alphonsus de Guimaraens escrito corretamente.

Não agüentou esperar o dia seguinte. Chegou em casa e empanturrou-se de arroz. Achou o gosto péssimo, mas comeu mesmo assim — ou por isso mesmo. Quanto maior o sofrimento, maior a salvação (era assim o ditado? Não lembrava direito...). E tascou aquele molho de pimenta com prazo de validade vencido que estava na última prateleira da porta da geladeira, atrás da mostarda — também fora da validade e também, boa idéia!, jogada no arroz.

Comia de maneira tão voraz que começou a suar. Seu rosto suava tanto, sua testa, seus olhos, que as lentes dos óculos embaçaram. Gotas de suor percorriam lentamente suas costas até dissolverem-se no pano de sua calcinha antiga. Só parou de comer depois de ingerir o último grão de arroz. Olhou para o chão da cozinha, totalmente tomado de sacos e mais sacos do cereal. Sem nenhum esforço, lembrou-se, rapidamente, do casamento de sua irmã mais nova, a única que fez questão de se casar na igreja. Brega como era, não dispensou o arroz jogado como confete, na saída da igreja. Não era arroz integral, obviamente, mas ainda assim era arroz, pensou. E continuou com o raciocínio. Sempre havia sido assim: ela recebia tudo feio e com cascas; a outra ficava com as coisas brancas e parboilizadas.

Mas não havia mais sentido pensar naquilo. A irmã estava longe, morando em São Paulo, separada do marido, não a via há anos. Não pôde deixar de dar um sorriso vitorioso: arroz branco não segura marido. Arroz integral não chama marido, também. Cássia Kiss! Cássia Kiss era o nome da atriz. Cássia Kiss. Ela é cheia de rugas nos olhos, não? E meio flácida, pelancuda. E come esse arroz marrom nojento. Qual era mesmo o telefone do McDonalds?

-----------------------------

A técnica ensina que a monodieta.

A técnica ensina que a monodieta só deve ser realizada em curto tempo, variando
segundo o objetivo e o produto nutritivo usado. Obviamente, o uso prolongado de apenas um
produto alimentício determina, ao longo do tempo, carências alimentares, mas, utilizado por um
período, estimula o processo de recuperação do organismo.
As monodietas mais aplicadas pela medicina natural são as seguintes:
Dieta do arroz integral
É um dos tratamentos clássicos que a medicina natural moderna absorveu da
macrobiótica, como importante parte da medicina oriental. Ela é realizada num período de dez
dias, tempo em que a parte líquida do sangue é geralmente renovada. E também chamada "dieta de
renovação biológica". Produz desintoxicação do organismo.
O arroz escolhido deve ser o orgânico, pois a presença de agrotóxicos no produto pode
ser extremamente prejudicial à saúde. A água para o cozimento do arroz deve ser também muito
pura; a água filtrada das grandes e médias cidades não é aconselhável. O sal a ser utilizado durante
a dieta é sempre o sal marinho biológico.
Durante a dieta o único alimento a ser ingerido tem de ser o arroz integral cozido sem
óleo ou temperos, apenas com um pouco de sal. São realizadas apenas três refeições ao dia, sendo
que o desjejum é composto de um mingau feito com farinha de arroz integral tostado, água e sal.
A mastigação deve ser prolongada, de pelo menos trinta vezes para o arroz cozido, até que ele se
liquefaça na boca; os líquidos durante as refeições devem ser evitados, sendo recomendado o uso
de uma xícara de chá de artemísia fraco dez minutos após as refeições. Em caso de sede, beber
pequenas quantidades de água aos poucos, bochechando-a bem antes de engolir.
Esta dieta não deve ser iniciada bruscamente partindo-se de uma dieta comum;
aconselha-se a observação de um período de eliminação de cerca de trinta dias em que,
radativamente, retiram-se do cardápio diário os alimentos danosos ao organismo, de modo que se
esteja consumindo apenas frutas, verduras, legumes, tubérculos, raízes e cereais integrais pelo
menos uma semana antes de se iniciar a dieta dos dez dias de arroz. Do mesmo modo, a saída
dessa dieta não deve ser imediata, mas lenta, incorporando os alimentos utilizados na semana
anterior ao início da dieta em questão, na seguinte ordem: nos primeiros dias manter sempre o
arroz como prato básico acrescentando outros cereais integrais; nos dias seguintes acrescentar
leguminosas e verduras, para depois incorporar os
demais.
Nos casos mais difíceis ou sérios, a pessoa que se submete ao tratamento deve estar sob
orientação médica adequada. Esta dieta produz inicialmente reações por vezes fortes, diretamente
proporcionais ao estado de gravidade ou toxidez do paciente. Geralmente ocorrem dores de cabeça, irritabilidade, sensação de fraqueza, prisão de ventre, gases,
flatulência e ansiedade; estes sintomas são, depois, gradativamente substituídos por bem-estar,
pacificação psicomental, funcionamento intestinal frequente (não se trata de diarréia) e outros.
Não raro surgem espinhas, halitose, fezes fétidas, urina escura, pele grossa e descamações, como
resultado do processo de descarga e desintoxicação; também estes desaparecem com o tempo,
dando lugar a uma pele mais jovial, hálito "lácteo", olhar mais resplandecente, fezes inodoras que
se desmancham com facilidade, urina clara e sem cheiro, cabelos e pêlos mais viçosos, como
resultado da recuperação da saúde e, conseqüentemente, das funções normais do organismo.

------------------------------

O QUE SÃO MONODIETAS CURATIVAS?

O QUE SÃO MONODIETAS CURATIVAS?
São as chamadas dietas em que se usa apenas um produto alimentício
durante um período determinado, fazendo parte dos
sistemas alimentares chamados "dissociativos".
Estes sistemas ensinam que o consumo de um único alimento apenas, dissociado dos
demais tipos, determina intensas modificações no organismo, promovendo o reequilíbrio de
funções alteradas e a cura de doenças crônicas.
Dieta do inhame
Como já foi dito, o inhame é um poderoso agente terapêutico capaz de promover a cura
de inúmeras moléstias. A monodieta do inhame, contudo, não deve ultrapassar um período
superior a sete dias; outrossim, deve ser repetida cerca de quarenta dias depois e novamente
repetida, caso seja necessário.
Apesar do nome da dieta, o inhame não é o único alimento utilizado no período; para a
realização do tratamento, prepara-se no liquidifícador uma mistura com os seguintes ingredientes:
- Inhames pequenos cozidos com casca (descascá-los depois de cozidos);
- Uma colher de sopa de azeite puro de oliva;
- Uma colher de sobremesa ou mais de misso;
- Um punhado de salsinha verde;
- Meia cebola grande crua.
Preparo
Depois que os ingredientes estiverem bem misturados pelo liquidifícador e
transformados numa massa homogênea, levar ao fogo apenas para aquecer. Este preparado deve
ser ingerido nas três principais refeições. O ideal é que seja preparado a cada vez. Não se deve
ingerir nenhum outro alimento além dos citados.
Diferentemente da dieta do arroz integral, não é necessário proceder a preparações
dietéticas especiais para a realização da dieta do inhame. Pode-se inclusive realizá-la por um
período inferior a sete dias e, mesmo, por apenas um dia.
Esta dieta deve obedecer a indicações terapêuticas do inhame e mesmo ser combinada
com ervas e outros tratamentos. É particularmente eficaz para diabéticos e portadores de
furunculose, acne, panarício, abscessos, infecções e inflamações gerais ou localizadas. Às vezes, os
sintomas parecem piorar no princípio e, em outras, podem surgir espontaneamente pontos
inflamados, furúnculos, etc.,como resultado da exteriorização e limpeza do organismo.
A dieta do inhame representa para casos agudos e muito tóxicos o mesmo que a do
arroz integral para doenças crônicas.

------------------------

Dieta da lima-da-pérsia.

Dieta da lima-da-pérsia
Não se trata propriamente de uma monodieta, mas baseia-se na ingestão de sumo de
limas maduras (dois a três copos grandes) pela manhã, em jejum, evitando-se qualquer alimento ou
líquido até a hora do almoço, durante cerca de três meses.
É um tratamento eficaz contra as doenças renais, sendo excelente tanto para a cura
quanto para a prevenção dos cálculos renais. Também indicado para as doenças respiratórias,
digestivas e circulatórias em geral, é um bom tratamento auxiliar contra a hipertensão arterial e as
inflamações da bexiga e da uretra.
Dieta do melão
É semelhante à dieta do abacaxi. Escolhe-se um dia da semana e ingere-se apenas melão
maduro. É eficaz para todas as doenças ginecológicas e hormonais femininas. Bem indicado como
tratamento a longo prazo das cólicas menstruais e na tensão pré-menstrual.
A quantidade a ser ingerida também é livre, obedecendo-se as quatro refeições.
Dieta da uva
Talvez seja a mais radical das monodietas. Durante um período prolongado, de cerca de
trinta dias ou mais, o paciente deve usar apenas a uva roxa como alimento, sob a forma que mais
lhe aprouver.
E um tratamento muito famoso entre os naturopatas da Europa contra o câncer. Existem
diversos casos descritos na literatura disponível sobre casos de câncer tratados com sucesso pela
dieta da uva. É eficaz contra cálculos renais, doenças do fígado, distúrbios digestivos (carências
enzimáticas, má digestão, intolerância alimentar, úlceras, gastrites, enterites, colites, etc.),
hipertensão arterial, arteriosclerose, na prevenção do infarto cardíaco, nas deficiências
circulatórias arteriais e venosas, no diabetes e no reumatismo.
As uvas devem ser bem mastigadas, evitando-se apenas os caroços. Orientação médica
adequada é requerida para os tratamentos cujo período ultrapasse uma semana ou para os casos
mais sérios. Recomenda-se o consumo de uvas orgânicas.

------------------------

Dieta do mamão.

Dieta do mamão
É executada por três dias consecutivos, quando o único alimento ingerido é apenas o
mamão, de preferência o mamão amarelo caipira ou o mamão-bahia vermelho. Muito bom para
prisão de ventre, digestão lenta, falta de apetite, contra os vermes intestinais (ingerir de l a 2
colheres de sementes sem mastigá-las), a colite, o excesso de colesterol.

------------------------------

Emagrecer Urgente

Emagrecer Emagrecimento Dietas Emagrecedor