Dieta para baixar colesterol -Dieta para baixar colesterol emagrece 17kg.

Emagrecimento Rápido

--------------------------

Dieta para baixar colesterol.

20 trocas contra o colesterol
A revista Saúde! conta para você como substituir alguns alimentos que elevam os níveis dessa gordura

Abaixo o colesterol
No placar científico, um time de nutrientes já pontuou a favor das nossas artérias na disputa contra o colesterol. Um estudo recém-concluído em institutos espanhóis como o Hospital Clinic de Barcelona demonstra, após analisar 772 pessoas suscetíveis a infartos, que uma dieta rica em fibras dribla o excesso de LDL, a versão nada benéfica da gordura, afastando perigos. Já nos Estados Unidos, pesquisadores da Universidade Loma Linda provaram que peixes, nozes e castanhas garantem proteção digna de um golaço. Afinal, ajudam a controlar as taxas da substância no sangue. Por que, então, não convocar esses alimentos ao cardápio? A tática vitoriosa é trocar itens que contribuem muito pouco — ou até atrapalham — por outros que se mobilizam para vencer o colesterol. E o melhor: sem deixar o prazer à mesa no banco de reservas. Saiba como e por que vale a pena adotar esse esquema em prol da saúde cardiovascular.

1. Pão francês por integral
Eis uma forma de começar o dia protegendo as artérias. A massa integral presenteia o organismo com boas doses de fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino. Bem nutridas, algumas delas fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação. "Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol", explica a gastroenterologista Jacqueline Alvarez-Leite, da Universidade Federal de Minas Gerais. Com isso, cai também a quantidade dessa partícula no sangue.

2. Leite integral por desnatado
Esse esquema garante a entrada do cálcio, tão caro aos ossos, sem um bando de penetras gordurosos. A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de ostentar menos ácidos graxos saturados. O excesso desse tipo de gordura eleva os níveis de LDL, a fração ruim do colesterol. "Isso porque reduz o número de receptores que captam LDL nas células", ensina a nutricionista Ana Maria Pita Lottenberg, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Se esse mecanismo não funciona direito, o colesterol vaga no sangue, pronto para se depositar na parede das artérias.

3. Óleo de soja e outros por azeite
O ganho dessa troca vem da combinação entre gorduras benéficas e antioxidantes que povoam o óleo de oliva. Uma de suas vantagens é fornecer doses generosas de ácidos graxos monoinsaturados. "Eles não aumentam os níveis de LDL e ainda ajudam a erguer um pouco as taxas de HDL, o colesterol bom", afirma o cardiologista Raul Dias dos Santos, do Instituto do Coração de São Paulo. "Além disso, os compostos fenólicos do azeite evitam a oxidação do colesterol, fenômeno que propicia a formação das placas", completa Jorge Mancini, diretor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo.

4. Pizza de mussarela pelas de vegetais
A ideia pode não agradar aos fãs mais puristas das pizzarias, mas presta um enorme serviço aos vasos sanguíneos. Deixar camadas e mais camadas de queijo de lado de vez em quando significa podar gordura saturada do cardápio. Como você viu, ela protagoniza o disparo do LDL, o tipo perigoso do colesterol. Substituir a mussarela ou a quatro queijos pelas redondas cobertas de vegetais é uma saída para degustar pizzas sem receio. Opções não faltam — vale pizza de escarola, de rúcula, de brócolis e até de abobrinha. E elas oferecem um bônus: pitadas de fibras e antioxidantes.

5. Salgadinhos por castanhas
Essa troca é destinada àquele momento em que pinta a fome no meio do dia. Solução fácil, mas nada saudável, seria recorrer aos salgadinhos ou biscoitos recheados, petiscos que costumam contar com gordura trans em sua receita. "Ela não só faz aumentar o LDL como ainda contribui para derrubar o HDL", alerta Ana Maria Lottenberg. Para escapar da malfeitora, aposte nas castanhas e nas nozes — legítimos depósitos da gordura monoinsaturada, que faz exatamente o trabalho oposto. "As oleaginosas ainda são fontes de antioxidantes", lembra Jorge Mancini.

6. Cereais açucarados por aveia
A aveia tem fama de ser um dos cereais mais nutritivos do planeta. Por isso merece um espaço logo no café da manhã — seja na forma de flocos, seja no mingau. Um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina comprova, mais uma vez, sua capacidade de cortar a gordura que sobra no sangue. "A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular a síntese de colesterol", explica a autora, Alicia de Francisco, que também é coordenadora para a América Latina da Associação Americana de Químicos de Cereais. "Observamos que elas ainda aumentam o HDL."

--------------------------

Dieta para baixar colesterol.

Dieta para baixar colesterol

A dieta para baixar o colesterol mau, conhecido também como LDL, também ajuda a emagrecer embora este seja um ponto menos focado aqui.

Café da manhã e lanche

1 copo de leite desnatado enriquecido com omega 3 de preferência
2 fatias de pão integral
1 colher de chá de geléia light
Colação

200ml de suco de uva natural (fonte de resveratrol- para a saúde do coração)
Almoço

Purê de batatas
peixe cozido
cenoura ralada
ou

200g de macarrão integral com tomate
peito de peru grelhado
espinafres escaldados
Jantar

Aspargos refogados
frango cozido
salada de alface, tomate e cebola
ou

souflê de abóbora
peixe grelhado com cebola e alho
1 iogurte natural com 1 colher de sopa de cereis integrais

------------------------

Todos os truques para abaixar o colesterol.

Todos os truques para abaixar o colesterol
Pequenas mudanças nos hábitos alimentares revertem o aumento das taxas

Ele é como uma faca de dois gumes: é essencial na produção hormonal, mas, em excesso, se transforma em risco à saúde. Certamente você já deve ter sido alertado sobre os perigos de não controlar as taxas de colesterol, esse, muitas vezes, incompreendido.

O cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração, Daniel Magnoni, explica que, quando os níveis estão acima do indicado, as frações da gordura ficam mais disponíveis na circulação. Entre estas frações, encontra-se o LDL, considerado como colesterol ruim. Ele se deposita na parede interna das artérias e inicia o processo de acúmulo de gorduras, levando ao entupimento das veias.
Os excessos podem ser gerados por duas razões: fatores genéticos ou hábitos alimentares errados. O que acontece é que cerca de 70% do colesterol produzido vem do fígado.

Ambos os casos podem ser revertidos com alguns acertos no menu diário. O especialista explica que, quando as calorias da dieta são ultrapassadas, o organismo passa a armazená-las para um eventual período de falta. Esse armazenamento é feito em forma de colesterol.

Se você detectou que suas taxas de colesterol estão acima do recomendado, ou ainda, se quer evitar o aumento perigoso à saúde do coração, alguns truques precisam ser colocados em ação.

------------------------

Troque as versões integrais pelas desnatadas .

Troque as versões integrais pelas desnatadas
A recomendação está relacionada aos alimentos de origem animal, devido à grande quantidade de gordura saturada que apresentam. Na lista dos campeões neste tipo de gordura estão queijos amarelos, leite integral, carnes gordas e pele de aves como frango.

De acordo com a responsável pela equipe nutricional do MinhaVida, Roberta Stella, a melhor opção para controlar os níveis da gordura é trocar os queijos amarelos pelos brancos, o leite e seus derivados pelas versões desnatadas, e as carnes gordas pelas magras. Hoje em dia, já é possível encontrar nas prateleiras iogurtes com 0% de gordura , lembra.

O que isso tem a ver com as taxas de colesterol? Tais alimentos estão relacionados com o aumento das taxas de colesterol ruim, o LDL. E assim como a gordura saturada, o colesterol também está presente nos alimentos de origem animal. Seria como matar dois coelhos numa cajadada só. Além dos alimentos listados acima, é importante evitar o consumo de manteiga, gema de ovo e banha de porco , ressalta Roberta. Atente também às preparações que contam com tais ingredientes, como bolos e tortas.

Maneire nas carnes
O alerta é redobrado aos bifes de carne vermelha porque eles são os que apresentam uma quantidade maior de colesterol, especialmente cortes que levam mais gordura. Porém, isso não significa que elas devem ser totalmente excluídas do menu.

Controlando a ingestão dos outros alimentos fontes de colesterol, é possível ingerir carne vermelha até três vezes por semana , tranqüiliza a especialista.

O fato de as carnes vermelhas oferecerem mais colesterol, no entanto, não faz com que os outros tipos de carnes possam ser consumidos à vontade. De acordo com Roberta, as carnes brancas e magras também possuem colesterol e, por isso, devem ser dosadas. Os alimentos que contêm colesterol devem ser monitorados de uma forma geral. Leve em conta que o total da gordura obtido em um dia deve ser menor que 300 mg , completa.

Retirar a gordura visível das carnes é mais um conselho da nutricionista do MinhaVida para ficar de olho no colesterol colocado no prato. Isso faz com que a quantidade de colesterol se reduza. Cem gramas de contra-filé grelhado com gordura contêm 144 mg de colesterol. Sem a gordura, a quantidade diminui para 102 mg , exemplifica. Quando optar por carnes brancas como frango, retire a pele. Cem gramas de peito de frango com pele contêm 80 mg de colesterol. Sem a pele, o valor passa a ser 59 mg , compara a nutri.

Controle a ingestão de biscoitos recheados
Você deve ficar de olho não só nas bolachas doces, mas em todos os produtos que levam gordura trans em sua composição. A indústria alimentícia utiliza a gordura hidrogenada na preparação de alguns produtos. A gordura hidrogenada, por sua vez, apresenta gordura trans , diz a nutricionista. O perigo do ingrediente é o mesmo que o da gordura saturada. Ou seja, ela influencia no aumento das taxas de LDL.

Na hora das compras, verifique a porcentagem de valor diário (%VD) no rótulo dos alimentos. Valores de %VD acima de 20 são considerados altos. Opte por aqueles que apresentam números inferiores de gorduras saturadas, trans e colesterol , dá a dica a especialista.

Lance mão dos óleos vegetais
Na luta para abaixar os níveis de colesterol, em vez de apenas restringir o consumo dos vilões, você pode recorrer à ajuda de alguns mocinhos. O óleo de canola e o azeite de oliva são bons exemplos de alimentos que você deve incluir na dieta. Segundo Roberta, as gorduras monoinsaturadas presentes nos dois tipos de óleos vegetais ajudam a reduzir as taxas de LDL, colesterol maléfico.

Já os óleos vegetais ricos em gorduras poliinsaturadas, como o de soja, girassol e milho, aumentam os níveis de HDL, considerado como bom colesterol. A dica da especialista, portanto, é, além de ficar de olho na quantidade de gorduras saturadas e trans, dar preferência aos alimentos com maior quantidade de gorduras mono e poliinsaturadas. Outras opções de alimentos ricos nas gorduras que somam pontos positivos na luta contra as taxas de colesterol são os peixes.

-----------------------------

DIETA PARA BAIXAR O COLESTEROL.

DIETA PARA BAIXAR O COLESTEROL

Mudanças no estilo de vida, incluindo a prática regular de exercícios físicos e uma dieta adequada, são importantes medidas para o controle dos níveis de colesterol. Em muitos casos, com medidas simples é possível reduzir ou até mesmo evitar o uso de medicamentos contra o colesterol.

Qualquer grau de redução no colesterol é bem-vindo, já que a cada 1% de redução dos níveis de LDL no sangue diminui-se em 2% o risco de doenças cardiovasculares.

Neste texto faremos uma simples revisão sobre a dieta mais indicada para o controle do colesterol. Sugerimos antes que leiam o nosso texto sobre colesterol alto, onde explicamos as diferenças entre os tipos de colesterol (HDL, LDL e triglicerídeos) e as opções de tratamento com medicamentos:
- COLESTEROL HDL | COLESTEROL LDL | TRIGLICERÍDEOS
- ESTATINAS | Remédios para colesterol alto
- O QUE SÃO OS TRIGLICERÍDEOS?

É importante salientar que além da dieta também são essenciais o controle do peso corporal e a prática de exercícios físicos regulares.

Quem deve fazer dieta para colesterol?

Uma dieta saudável é indicada para qualquer indivíduo, mesmo aqueles com níveis de colesterol controlados. Entretanto, quanto maior for o valor do colesterol LDL, mais importantes se tornam as mudanças de hábito de vida. Uma dieta voltada para controle do colesterol está indicada para todos aqueles com colesterol LDL acima de 130 mg/dL. No caso de pacientes com antecedentes pessoais de doença coronariana (leia: INFARTO DO MIOCÁRDIO | Causas e prevenção) a dieta deve ser feita de modo a ajudá-lo a manter o LDL abaixo de 100 mg/dL.

Dieta para baixar colesterol
O que se segue abaixo são dicas gerais sobre alimentos e suplementos no controle do colesterol. Para se otimizar os resultados é sempre importante ter uma consulta com um nutricionista para que este possa traçar uma estratégia apropriada para o seu caso em particular.

Regra geral, deve-se evitar gorduras saturadas, principalmente as poli saturadas do tipo trans. As gorduras mais saudáveis são as gorduras insaturadas, principalmente as monoinsaturadas, encontradas em alimentos como o azeite, canola, abacate, amendoim e nozes.

1.) Carnes

Não é preciso cortar carnes da dieta, mas dê preferência a peixes. Carnes de aves sem pele também são uma opção. Carne de boi ou porco somente se forem cortes magros. A quantidade ideal de carne por dia é de 150 a 200g. Deve-se evitar:
- Carnes com cortes gordos, entrecosto, carne de órgãos e carnes fritas (inclusive peixes).
- Linguiça, salsicha, mortadela, salame, presunto e bacon.
- Camarão, polvo e lulas

Deve-se sempre dar preferência à proteína vegetal em vez da proteína de origem animal. A carne de soja é um ótimo substituto para as carnes de origem animal.

2.) Ovos

Pode-se comer ovos, porém, não mais do que 4 gemas por semana nos casos mais leves e não mais do que 2 gemas por semana nos casos de colesterol mais elevado ou alto risco cardiovascular. Nesta conta inclui-se alimentos que levam ovos, como bolos e massas. A clara não tem colesterol e pode ser consumida sem medo.

------------------------------

Cartilha lista alimentos para reduzir o colesterol ruim.

Cartilha lista alimentos para reduzir o colesterol ruim

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) listou em uma cartilha, bem simples e didática, alimentos que ajudam a reduzir o colesterol ruim (LDL) e aumentar o bom (HDL), com as respectivas quantidades de consumo indicadas. A iniciativa faz parte de uma campanha da SBC em prol da prevenção e da educação para redução de complicações cardiovasculares, com ações para médicos das unidades de saúde e com a população em geral.
"Colocar uma ponte de safena custa, em média, R$ 12 mil. Uma angioplastia custa R$ 6 mil. Na prevenção o custo é quase zero e o ganho não é só para o sistema de saúde, mas para a população, que com isso vive melhor, se sente melhor. Precisamos mudar esse modelo centrado na doença e no hospital, e reforçar a prevenção. Não temos outro caminho", afirma o cardiologista Carlos Alberto Machado, diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da Sociedade Brasileira de Cardiologia.
"Com mudanças de estilo de vida, podemos prevenir uma série de problemas que terão impacto negativo na vida das pessoas. É comer melhor, se exercitar mais, manter o peso mais próximo possível do ideal. E levar informação na base, para o clínico geral, para o médico da família, para quem acompanha os pacientes."
A cartilha, além das recomendações nutricionais, traz informações gerais, como o que é o colesterol, os índices recomendados e os preocupantes, o estímulo à atividade física e a importância do acompanhamento médico e dos medicamentos serem tomados corretamente, quando indicado pelo profissional. As orientações são simples, mas nem sempre, no dia a dia, conseguimos atingir o modelo ideal – mudar um estilo de vida adquirido por anos e anos é muito difícil, como quase todo mundo deve saber, e liberar espaço na agenda para fazer alguma atividade física e para realização de exames periódicos também exige uma certa disciplina.
Por isso mesmo, aos poucos, é possível mudar hábitos ruins, adotando práticas melhores – muitas vezes mudanças radicais, justamente por serem muito difíceis, duram pouco. E a ideia não é ser saudável por uma semana, mas pela vida toda.
Veja abaixo as indicações da cartilha. O texto todo está disponível aqui.
* Azeite: 2 colheres de sopa por dia:
Possui vitamina E e gordura monoinsaturada – prefira o extra-virgem e não esquente ele

Iogurte: 1 copo ou um 1 pote por dia (180ml)
Melhora o funcionamento intestinal e ajuda a reduzir o colesterol – um ótimo café da manhã ou lanche da tarde
* Linhaça: 2 colheres de sopa por dia
Possui fibras e ômega 3 e pode ser consumida em forma de farinha ou as sementes – dá pra misturar a linha em sucos, vitaminas, massas de pães e biscoitos, na salada, no arroz
* Tomate: 1 unidade ou 2 colheres de molho
Tem licopeno, um antioxidante que auxilia na prevenção de infartos e derrames

* Salmão, sardinha ou atum: 1 posta ou filé por semana
Ricos em ômega 3. Diminuem os triglicérides e a pressão arterial
* Aveia: 3 colheres de sopa por dia
Aveia é ótima para reduzir o colesterol, e vai bem em pão, bolo, vitamina e, claro, mingau
* Suco de uva: 1 copo por dia (180 ml)
Também bastante eficaz, mas precisa ser suco de uva mesmo, natural
* Soja: 6 colheres de sopa de grãos por dia ou 4 copos de leite de soja por dia
Prefira o grão da soja àquela proteína texturizada, que já passou por um processo de industrialização. Fica ótima em saladas. Com o leite, para quem não gosta do sabor puro, é bem fácil preparar sucos e vitaminas com ele, misturando com frutas


Se depois disso, alguém quiser mais informações, o site da SBC permite calcular o risco cardíaco, num teste online.
E, para quem cozinha em casa, também tem uma página com receitas fáceis e práticas e, claro, com poucas quantidades de gordura.

------------------------

Emagrecer Urgente

Emagrecer Emagrecimento Dietas Emagrecedor