Dietas hospitalares -Dietas hospitalares emagrecer até 17kg.

Emagrecimento Rápido

--------------------------

Dietas hospitalares.

Tipos de dietas hospitalares

As dietas especiais são divididas pela consistência dependendo da patologia ou dificuldade apresentada pelo paciente
Hídrica Pré e pós-operatório, preparo de alguns exames, hidratação, manutenção do trato gastrointestinal. Baixo teor calórico e protéico.
Ex.: chá, caldo de carne e vegetais, suco coado não laxante (limonada e laranjada). Isenta

CONSISTÊNCIA INDICAÇÕES ALIMENTOS PERMITIDOS FIBRA
Líquida S/R Pré e pós-operatório do TGI, mastigação, deglutição, perturbações do aparelho digestivo, diarréia aguda, infecções graves. Dieta altamente restritiva, e nutricionalmente inadequada em nutrientes. Não deve ser utilizada por mais de 3 dias por fornecer quantidade inadequada de caloria.
Ex.: canja, gelatina, sopa de legumes, chá. Isenta
Líquida Problemas de mastigação e deglutição, casos de afecções do TGI, e em alguns pré e pós-operatórios. Alimentos liquidificados, líquidos, leite, suco, caldo, gelatina e mingau ralo. Baixo teor
Pastosa Alterações da boca ou esôfago, dificuldade de mastigação e deglutição, em alguns pós-operatórios, idosos, danos neurológicos ou sem arcada dentária. Sopa em consistência de creme, purê, mingau, carne batida ou triturada e fruta na forma de purê. Normal
Leve Função do TGI reduzida, dificuldade de mastigação e deglutição e pós-operatórios. Sopa, purê, carne macia, moída ou desfiada, legumes e verduras bem cozidos. Proibido frituras. Normal
Branda Dificuldade de mastigação e deglutição, pós-operatórios, presença de gastrite ou úlcera péptica. Retirar alimentos gordurosos, frituras, condimentos picantes, conservas, bebidas alcoólicas. Abrandar todos os alimentos.
Ex.: arroz papa, caldo de feijão, carne macia. Proibido frituras e condimentos. Normal
Geral Não necessitam modificações em nutrientes e na consistência. Consistência normal, fracionamento de 5 a 6 refeições por dia.

--------------------------

As dietas hospitalares.

As dietas hospitalares recebem diferentes classificações para atender às necessidades individuais de cada cliente. Essas dietas dividem-se em normais, modificadas e especiais.

Dietas Normais

Geral ou Normal: indicada para clientes cuja condição clínica não exige modificação em nutrientes e consistência da dieta. Sem nenhuma restrição, deve preencher todos os requisitos de uma dieta equilibrada.

Dietas Modificadas

Líquida Clara/ Líquida Restrita: indicada em pós-operatório imediato (POI), preparação para exames ou cirurgia de cólon, clientes com diminuição da função do trato gastrointestinal (TGI), porém é inadequada em todos os nutrientes, deve ser ofertada somente por 24-48 horas e considerar uso de complemento nutricional pobre em resíduos em clientes desnutridos. Fornece líquidos, eletrólitos e energia com alimentos de fácil digestão, mínimo resíduo intestinal.

Líquida: indicada em período de transição (2 a. fase P.O), dificuldade para deglutição e mastigação, problemas inflamatórios do trato gastrointestinal. Fornece líquidos, eletrólitos, carboidratos, proteínas e lipídeos, é de fácil digestão, composta por alimentos como leite, iogurte, gelatinas, cremes, sopas liquidificadas, mingaus, suco de vegetais ou de frutas, podem ser adicionadas substâncias que permaneçam dissolvidas, é inadequada na maior parte dos nutrientes, alta em lactose e pobre em fibras e deve-se suplementar vitaminas e minerais (se duração > 02 semanas).

Branda: indicada em pós-operatório (período de transição para a dieta geral), clientes com dificuldade de mastigação, porém pode-se deglutir e em casos de processos inflamatórios. Os alimentos devem ser bem cozidos ou assados, com baixa quantidade de celulose e poucos resíduos, inclui alimentos preparados com pouca gordura e poucos condimentos, a ingestão de café, chá e refrigerante é limitada ou restrita e pode conter fibra em quantidade normal.

Pastosa: indicada para clientes com dificuldade de mastigação e deglutição, em alguns pós-operatórios, casos neurológicos, insuficiência respiratória, diarréias e em clientes com disfagia para sólidos (problemas esofágicos). Os alimentos fornecidos são moídos ou na forma de purê, a dieta apresenta consistência menos sólida e mais macia que a dieta branda, é utilizada para facilitar ao máximo o trabalho digestivo, sua aparência pode causar má aceitação, porém é adequada em nutrientes. Para aumentar a densidade calórica deve-se adicionar azeite, mel ou açúcar. Ex: sopa, caldos, leite, iogurte, arroz papa, purê de legumes, carne liquidificada, caldo de feijão, mingau.

Dietas Especiais

Apresentam alterações químicas, qualitativas e/ou quantitativas para atender as necessidades de portadores de doenças, onde ocorrem distúrbios de nutrientes ou restrição de uma substância específica.

São divididas em:

Dietas com modificações de nutrientes:
Hipocalórica/ Hipercalórica.
Hipoprotéica/ Hiperprotéica.
Hipogordurosa.
Pobre em colesterol.
Rica/ Pobre em potássio.
Rica/ Pobre em fibras.
Hipossódica.
Restrita em líquidos.
Dietas com exclusão de alimentos e/ou substâncias:
Hipoalergênica.
Isenta de glúten.
Isenta de lactose.
Pobre em purina.

------------------------

dieta Hospitalar.

dieta Hospitalar

Dieta normal ou livre

• É uma dieta balanceada, sem restrições de consistência, volume, osmolaridade, etc.

Modificações da dieta normal

- Mudança na consistência dos alimentos (dietas líquidas, leves, com poucas fibras, rica e mfibras).

- Aumento ou diminuição no valor energético da dieta (dietas deredução de peso, com alto teor calórico).

- Aumento ou diminuição no tipo de alimento ou nutriente consumidos (dietas com restrição de sódio, restrição delactose, rica e mfibras, rica em potássio).

- Eliminação de alimentos específicos (dietas para alérgicos, sem glúten).

- Ajuste no nível, proporção ou equilíbrio de proteínas, gordura e carboidrato (dietas para diabetes, cetogênica, renal, de diminuição de colesterol).

- Redistribuição do número e freqüência de refeições (dieta para diabetes, pósgastrectomia).

- Mudança na via de administração de nutrientes (nutrição enteral ou parenteral).

Dieta branda ou leve

• É usada como uma transição entre a dieta líquida e alivre.

• Geralmente é indicada para pacientes com problemas de mastigação, gastrintestinais e, em alguns casos, pós-operados.

• Geralmente as frituras são omitidas

------------------------

Tipos de Dietas Hospitalares.

Tipos de Dietas Hospitalares

Dieta modificada é aquela que, em qualquer de suas características físico-químicas, necessita ser ajustada a uma alteração do processo digestivo ou de funcionamento geral do organismo, sendo modificada a partir da dieta normal (CLEMENTE; JAIME, 2005).

Sob esse aspecto, as dietas hospitalares são divididas em duas categorias:

a) Dietas de Rotina: apresentam mudanças físicas nas suas características e são conhecidas pelas modificações de consistência. Além disso, podem ser usadas de forma sequencial na progressão da alimentação de um indivíduo doente. São elas: dieta geral ou normal, branda (leve), pastosa, semilíquida e líquida (geral e restrita).

b) Dietas Especiais ou Terapêuticas: caracterizam-se pelas mudanças na sua estrutura química (modificação de nutrientes) com finalidades terapêuticas, podendo também incorporar as alterações de consistência. Assim, temos dietas com manipulação proteica para mais (hiperproteica) ou para menos (hipoproteica), rica em fibras, sem lactose, hipossódica, dentre outras.

-----------------------------

hortaliças cruas.

hortaliças cruas;
frutas cruas, exceto mamão;
leguminosas: pode-se incluir apenas o caldo ou caldo batido e coado;
embutidos e conservas.

DIETA PASTOSA

Indivíduos com dificuldades de mastigação e deglutição, em alguns pós-operatórios e casos neurológicos.

Características

Consistência: os alimentos devem estar em forma de purê, mingau, as carnes devem ser batidas ou trituradas.

Fracionamento: 5 a 6 refeições.

Normoglicídica, normolipídica e normoprotéica.

DIETA SEMILÍQUIDA

Indivíduos com problemas mecânicos na ingestão e digestão, com dificuldades de deglutição e mastigação; em determinados preparos de exames e cirurgias , pós operatórios. É usada também como transição para a dieta branda e geral. É equivalente a dieta chamada de leve.

Características

Consistência: semilíquida (sopas, purês, carne moída ou desfiada – tecido conectivo abrandado pela cocção).

Fracionamento: 5 a 6 refeições.

Normoglicídica, normoprotéica, normolipídica.

------------------------------

Emagrecer Urgente

Emagrecer Emagrecimento Dietas Emagrecedor