formulas para emagrecer -formulas para emagrecer até 17kg.

Emagrecedor

--------------------------

formulas para emagrecer.

Fórmulas" Para Emagrecer

O excesso de peso é um importante problema de saúde pública, que afeta cerca de 40% dos adultos brasileiros, de acordo com o ultimo levantamento do IBGE. O individuo com alguns quilos a mais apresenta, além dos problemas estéticos, um significativo aumento no risco de doenças como o diabetes, a hipertensão, o infarto do miocárdio e a osteoartrose. O aumento no numero de pessoas com excesso de peso, observado nas ultimas décadas, se deve a mudanças nos hábitos alimentares e no nível de atividade física da população. Por essa razão, o tratamento da obesidade sempre deve começar com orientações especificas sobre a alimentação e aconselhamento sobre exercícios físicos regulares.
Quando essas mudanças de comportamento não são suficientes, podem ser necessárias outras medidas, tais como o uso de medicamentos ou mesmo a cirurgia de redução de estomago (gastroplastia). Entretanto, muitas vezes, o paciente obeso, no ímpeto de perder muitos quilos de forma rápida e sem muito esforço, recorre ao uso de medicamentos que não seriam os mais indicados ao seu tratamento.
De fato, no Brasil, a venda dos medicamentos "moderadores de apetite" aumentou em cerca de 500% nos últimos cinco anos, de acordo com um relatório da Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (JIFE), um órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU). O preocupante é que muitas vezes essas medicações são prescritas sem um programa concomitante de dieta e exercício, e nessa situação os medicamentos, sozinhos, dificilmente são eficazes. Quer dizer: o paciente pode perder vários quilos durante o uso da medicação, mas assim que interromper seu uso, se não tiver melhorado seus hábitos de alimentação e atividade física, ele vai ganhar novamente todo o peso perdido - ou até mais. É o chamado "efeito sanfona".
Um grande perigo para os pacientes obesos é o uso das chamadas "fórmulas" mágicas, ou "coquetéis", para emagrecer. São compostos que associam, numa mesma cápsula, varias substâncias diferentes, geralmente manipuladas em farmácias, com o objetivo de acelerar a perda de peso. O uso dessas "fórmulas" é PROIBIDO no Brasil, conforme normas emitidas pelo Conselho Federal de Medicina e pelo Ministério da Saúde, mas infelizmente, como a vigilância sanitária não consegue fiscalizar adequadamente a prescrição e uso desses coquetéis, eles continuam sendo utilizados com muita freqüência por médicos inescrupulosos e por pacientes pouco motivados a mudarem seus hábitos de vida. Esses compostos possuem vários efeitos colaterais graves, podendo em algumas situações levar a risco de morte, dependendo da dosagem e da forma que são utilizados. Além disso, podem provocar dependência física e psicológica.

--------------------------

De que são feitas as "fórmulas" para emagrecer?

De que são feitas as "fórmulas" para emagrecer?
As "fórmulas" geralmente associam, numa só cápsula, um medicamento inibidor do apetite (em geral, um anorexígeno derivado das anfetaminas, tais como: o femproporex, a anfepramona ou o mazindol), juntamente com um diurético (furosemida) e um ou mais laxantes de origem vegetal (fucus, cáscara sagrada) ou química (fenolftaleína). Algumas vezes podem conter também hormônios tireoidianos (como a tiroxina - T4, a liotironina - T3, ou o acido triiodotiroacético - tiratricol ou Triac) e calmantes (diazepam), bem como várias outras substâncias de efeitos diversos, com o objetivo de aumentar a perda de peso ou diminuir os efeitos colaterais das outras substâncias.

Quais os efeitos colaterais das "fórmulas"?
Quanto mais substâncias químicas uma pessoa ingere, maior a chance de efeitos colaterais sérios. Quando se associam vários compostos com ações diversas numa mesma cápsula, os efeitos podem ser imprevisíveis e até mesmo fatais.

------------------------

efeitos colaterais de cada tipo de substância usada nas "fórmulas".

efeitos colaterais de cada tipo de substância usada nas "fórmulas":

Moderadores de apetite (femproporex, anfepramona, dietilpropiona, mazindol) - Podem aumentar a pressão arterial, acelerar os batimentos cardíacos (taquicardia), produzir arritmias cardíacas, causar insônia, boca seca, suor excessivo, agitação, ansiedade e até mesmo delírios e alucinações em algumas pessoas. Em indivíduos que já tenham pressão alta ou problemas cardíacos, podem provocar angina, infarto e morte por parada cardíaca. Os efeitos são mais graves quanto maior a dose e maior o tempo de utilização. Além disso, podem causar dependência se usados por mais de alguns meses. Esses medicamentos são proibidos na maioria dos paises desenvolvidos, mas no Brasil ainda podem ser usados, com receita medica, e tem a vantagem do custo acessível. No entanto, existem varias regulamentações para o seu uso (vide abaixo).

Hormônios tireoidianos (liotironina ou T3, tiroxina ou T4, acido triiodotiroacético ou Triac ou tiratricol) - Foram os primeiros medicamentos utilizados para o tratamento da obesidade, no final do século XIX, mas logo foram abandonados porque podem provocar taquicardia, arritmias cardíacas, aumento da pressão arterial, angina, infarto, insônia, agitação, irritabilidade e problemas menstruais quando utilizados em doses altas ou em pessoas que não tenham determinadas doenças da tireóide (Leia mais sobre isso na seção de Hipotireoidismo). Além disso, o uso de hormônios tireoidianos promove perda não só da gordura corporal, mas também do tecido muscular e ósseo, levando a osteoporose (com aumento do risco de fraturas ósseas) e a fraqueza muscular importante e redução da tolerância aos exercícios e da capacidade de trabalho. Seus efeitos colaterais podem ser potencializados pelo uso concomitante de moderadores de apetite (como acontece nas "fórmulas"). Como seus efeitos colaterais são geralmente bem maiores que seus benefícios nessa situação, não há nenhuma justificativa para o seu uso no tratamento da obesidade na ausência de algumas doenças da tireóide.

------------------------

Perdi 45 quilos com uma fórmula caseira.

Perdi 45 quilos com uma fórmula caseira
Depois de três pessoas da minha família morrerem por excesso de peso, tomei uma atitude. Além de saudável e feliz, fiquei muito mais bonita!
Eu estava com o pé na cova

Emagrecer, pra mim, não era mais questão de beleza, era caso de vida ou morte. E eu estava com 112 quilos. Também, já cheguei a comer 37 pedaços de pizza de uma vez e a devorar torresmo com leite condensado. Tudo pra tentar conter a tristeza que sentia por passar tantos anos naquela situação.

A manhã do dia 26 de janeiro de 2009 parecia ser mais um desses dias de infelicidade profunda. Eu estava com preguiça de abrir o olho e sem vontade nenhuma de respirar ou de viver... Confesso, eu não me achava mais uma mulher, me sentia uma banha ambulante.

O dia em que a minha ficha caiu

Me arrastei até o espelho e algo diferente aconteceu. Pela primeira vez na vida eu me olhei de verdade. Não para a banha que se espalhava pra todos os lados, mas para a Elenir que existia dentro de mim. Uma mulher incrível estava oprimida dentro daquele corpo. ''Você só precisa de você mesma pra sobreviver, Elenir!'', eu disse. Era o meu grito de libertação.

Naquela mesma manhã, tirei do armário minha maquiagem, meus cremes para o cabelo e fui atrás das melhores roupas disponíveis para o manequim 54. Eu já era casada, e fiz uma reunião com o marido e meus dois filhos para anunciar a mudança: a partir daquele momento a ordem em casa seria comer verduras, frutas e pratos saudáveis. Todo mundo riu da minha cara. Ninguém acreditou que eu pudesse manter uma dieta por muito tempo.

Perdi dois quilos por semana!

Daquela manhã decisiva até hoje apenas oito meses se passaram e ninguém mais duvida do que sou capaz. Foram 45 quilos perdidos, quase dois por semana. E não tomei nenhum tipo de medicamento nem usei nenhuma fórmula industrial. Eu mesma criei a minha dieta depois de pesquisar sobre alimentos na internet.

Minha maior descoberta nesses oito meses de emagrecimento foram os alimentos ricos em fibras: farelo de trigo, farelo de trigo, aveia, farinha de linhaça, pão integral. Eles estão em quase todas as minhas refeições. São gostosos, dão energia, regulam o intestino e trazem a sensação de saciedade. Combino esses alimentos com iogurte e saladas, e sempre os coloco nas refeições principais. Eles são auxiliares poderosos do meu emagrecimento.

Criei o dia do bota-fora

Minha vida mudou radicalmente. Eu comecei a andar todos os dias. O meu condicionamento melhorou com o tempo, e hoje consigo correr seis quilômetros sem parar. E nem pense que eu deixei de comer gostosuras por causa da minha reeducação alimentar. Uma vez por semana faço o dia do bota-fora. Me permito gostosuras. Claro que não como mais 37 pedaços de pizza, mas encaro uns quatro de vez em quando.

A diferença é que deixei de ser aquela gordinha que fica do lado da mesa, sempre pronta pra comer. Hoje eu não devoro mais a minha vida como fazia antes, mas a saboreio lentamente, curtindo cada momento.

Virei exemplo de superação

A ficha do meu marido demorou a cair. Quando se deu conta de que é casado com uma mulher magra, virou um ciúme só...

Com muita determinação, não apenas superei a obesidade e fiquei linda, como estou ajudando outras pessoas a mudar de hábitos. Sou dona de uma comunidade de emagrecimento no Orkut e tenho um blog (blogdagugui. blogspot.com), para troca de mensagens. Minha história tem servido de exemplo a muitos internautas e também aos meus dois irmãos, que ainda são muito gordos. Hoje eles têm o meu exemplo de que dá, sim, pra emagrecer.

-----------------------------

Emagrecedores

Emagrecer Emagrecimento Dietas Emagrecedor